Tocadores de MP3 já são risco à audição

O hábito cada vez mais comum de ouvir músicas em tocadores de MP3 e celulares com o uso de fones de ouvido por longos períodos e volume alto já causa reflexos nas clínicas: problemas de audição.

Por Alexandre Gonçalves

O hábito cada vez mais comum de ouvir músicas em tocadores de MP3 e celulares com o uso de fones de ouvido por longos períodos e volume alto já causa reflexos nas clínicas: problemas de audição. Apesar de pequenos, alguns desses aparelhos são capazes de produzir um volume máximo equivalente ao de uma britadeira, algo em torno de 120 dB. A legislação brasileira, por exemplo, permite que um operário permaneça só sete minutos por dia exposto, sem proteção auricular, a sons acima de 115 dB.

Um dos primeiros sinais de problemas é o aparecimento do zumbido, ou seja, de um ruído contínuo que parece um chiado, como uma emissora de televisão fora do ar. O problema pode ser agravado pelos barulhos do dia-a-dia, como trânsito intenso, construção civil e até mesmo músicas com volume alto em festas.

Segundo o Grupo de Apoio a Pessoas com Zumbido da FMUSP, nos últimos 5 anos houve um aumento de 20% no número de jovens com menos de 20 anos atendidos pelo serviço. Segundo Tanit Sanchez, pesquisadora, não é possível dizer quanto desse aumento pode ser atribuído aos tocadores de MP3 e dispositivos similares, mas lugares barulhentos, como shows e festas, podem contribuir.

Iêda Russo, fonoaudióloga, diz que houve uma mudança significativa na saúde auditiva dos jovens na última década. A exposição a sons e ruídos cada vez mais intensos e por períodos prolongados levou a uma redução da sensibilidade auditiva. Antes, não era raro encontrar um universitário que, em um exame, era capaz de perceber sons abaixo do limiar médio de audição do ser humano (0 decibel). O vento das folhas, por exemplo, tem 10 decibeis. Atualmente, na média, os jovens começam a detectar nos testes sons acima de 10 ou 20 decibeis. Embora 20 seja um valor aceitável, a fonoaudióloga considera significativa a acuidade auditiva.

Recomendações:

  • Para a maior parte dos tocadores portáteis, convém ouvir música na metade do volume;
  • Pergunte às pessoas ao seu redor: se elas ouvem a sua música, abaixe o volume;
  • Não aumentar o volume para compensar a poluição sonora do ambiente;
  • Preferir modelos de fone que cubram a orelha e não insiram o som dentro do canal auditivo;
  • Se aparecer um zumbido ou sensação de ouvido tampado, procure um especialista;
  • Dor de cabeça, irritabilidade e insônia são outros sintomas que merecem atenção;
  • Vale a pena realizar pausas para descansar o ouvido depois de uma hora de uso;
  • Utilizar protetores auriculares em shows e baladas onde há música alta.

Fonte
Jornal Estadão
Caderno VIDA&
03/08/2008